Siwon Brasil

12195749_770785593031941_5173914866814320545_n

Ator coreano e músico Siwon, que estreia anúncio para relojoeiro e joalheiro Piaget, fala com VINCENZO LA TORRE sobre a vida como um fenômeno global durante uma entrevista pós-gravação em Seul.É difícil acreditar que tão recentemente como há uma década, a Coreia do Sul sofria de um complexo de inferioridade, muitas vezes desprezados pelos vizinhos mais prósperos e culturalmente influentes, como Japão e Hong Kong.Como as coisas mudaram. Você não precisa viajar muito longe para ver que o país está agora experimentando um renascimento cultural incrível, sua diplomacia soft-power que se estende a partir de Pequim para Tóquio e nossas próprias costas. Primeiro foi K-Pop, a onda musical que suplantou J-Pop e Cantopop como trilha sonora de adolescentes ‘vive por toda a Ásia; em seguida, a enorme popularidade de dramas coreanos, religiosamente assisti na TV e transmitido online por milhões de fãs dedicados; e produtos de beleza, finalmente, coreanos, valorizada pela inovadora inovações que são imitados, mesmo no Ocidente. Embora alguns culpam a indústria de entretenimento coreana por sua abordagem moldadas de estrelas jovens e transformá-los em artistas sem falhas e, por vezes, sem alma , deve haver mais do que os olhos, uma vez que os jovens de todo o mundo não podem obter  suficiente estrelas como Super Junior, G-Dragon e Girls ‘Generation.Empresas de entretenimento como a SM Entertainment estão por trás da ascensão da cultura pop coreana. Seus agentes de talentos arrastam o país em busca da próxima grande coisa, arrancando crianças de obscuridade com o objetivo de transformá-los em superstars. Conhecido para o treinamento extremamente intenso dos novos recrutas e da veia competitiva que promover entre Pretendente estrelas, essas agências de talento são verdadeiros conglomerados, produzindo estrelas a uma velocidade vertiginosa e construção de suas carreiras. ”

Enquanto muitos desses artistas vir a ser sucesso através de uma só música , há alguns com poder de permanência verdadeiro, artistas natos que podem mover além do papel estreito-atado do menino bonito ou menina de dança em um palco e expelindo melodias cativantes. Super Junior, o grupo que começou a mania de boy bands coreano, 10 anos e seu protagonista, Siwon, conseguiu transformar sua imagem de um jovem galã em uma carreira de sucesso como ator, com papéis em internacional produções e uma base de fãs que transcende os adolescentes gritando que ficam histéricas quando ele faz uma aparição.

 

12141756_770786399698527_1343041227566742219_n

 

O belo de 28 anos, que recentemente estrelou um anúncio produzido pela relojoaria e joalharia marca ‘Piaget’ intitulado um ‘Beyond a Gift’, foi criado em seu caminho para o estrelato a partir de uma idade muito precoce. “Quando eu era criança, eu só queria ser famoso, uma celebridade. Eu pensei que eu iria fazer o trabalho de meu pai ou algo como um trabalho chato, sempre estudando e sempre fazendo cursos, mas eu realmente não quero fazer isso “, diz ele, quando nos encontramos ele no set de filmagem do anúncio em um frondoso subúrbio de Seul.

 

Não demorou muito para que o então 16 anos de idade, para marcar uma audição com a SM Entertainment antes de ser escolhido dois anos depois para fazer parte do fenômeno global Super Junior, cujo single mais vendido, “Sorry, Sorry” , impulsionou a banda ao estrelato internacional. “O engraçado é que eu não queria ser um cantor ou um ator”, diz Choi. “Não que eu não queria fazer isso, mas não é isso que eu queria fazer em primeiro lugar. Sr. Lee [Soo Man], nosso presidente, me ligou: ‘Ei, venha ao meu escritório, o que você quer fazer? O que você pode fazer? Talvez taekwondo ou algo assim? ”

 

Korean actor and musician SIWON CHOI, who stars in a film for watchmaker and jeweller Piaget, talks with VINCENZO LA TORRE about life as a global phenomenon during a post-shoot interview in SeoulIt’s hard to believe that as recently as a decade ago, South Korea suffered from an inferiority complex, often looked down upon by more prosperous and culturally influential neighbours such as Japan and Hong Kong. How things have changed. You don’t have to travel far to see that the country is now experiencing an incredible cultural renaissance, its soft-power diplomacy extending from Beijing to Tokyo and our own shores. First it was K-Pop, the musical wave that has supplanted J-Pop and Cantopop as the soundtrack of teenagers’ lives all over Asia; then the huge popularity of Korean dramas, religiously watched on TV and streamed online by millions of devoted fans; and finally Korean beauty products, prized for groundbreaking innovations that are imitated even in the West.Although some blame the Korean entertainment industry for its cookie-cutter approach to building young stars and turning them into flawless and sometimes soulless performers, there must be more than meets the eye, given that young people all over the world can’t get enough of stars such as Super Junior, G-Dragon and Girls’ Generation.Entertainment companies such as SM Entertainment are behind the rise of Korean pop culture. Their talent agents trawl the country in search of the next big thing, plucking kids from obscurity with the aim of turning them into superstars. Known for the extremely intense training of the new recruits and the competitive streak they foster among wannabe stars, these talent agencies are true conglomerates, churning out stars at breakneck speed and building their careers.’

 

 

While many such performers turn out to be one-hit wonders, there are some with real staying power, natural-born entertainers who can move beyond the strait-laced role of the pretty boy or girl dancing on a stage and spewing out catchy tunes. Super Junior, the group that started the craze for Korean boy bands, turned 10 this year and its leading man, Siwon Choi, has managed to transform his image as a young heart-throb into a successful career as an actor, with roles in international productions and a fan base that transcends the screaming tweens who go hysterical whenever he makes an appearance.

 

 

The handsome 28-year-old, who recently starred in a film produced by watch and jewellery brand Piaget titled Beyond a Gift, was set on his path to stardom from a very early age. “When I was a kid, I wanted only to be famous, a celebrity. I thought that I would do my father’s job or something like a boring job, always studying and always taking courses, but I really didn’t want to do that,” he says when we meet him on the set of the film in a leafy suburb of Seoul.

 

 

It didn’t take long for the then 16-year-old to score an audition with SM Entertainment before being picked out two years later to be part of the global phenomenon of Super Junior, whose best-selling single, “Sorry, Sorry”, propelled the band to international stardom. “The funny thing is that I didn’t want to be a singer or an actor,” says Choi. “Not that I didn’t want to do it, but it’s not that I wanted to do at first. Mr Lee [Soo Man], our chairman, just called me, ‘Hey, come to my office, what do you want to do? What can you do? Maybe drums or taekwondo or something?’”

 

Depois disso, os dois envolvidos em uma longa conversa, durante a qual Lee percebeu que Choi tinha um grande potencial para o apelo internacional. “Ele disse que eu deveria ir para a China, então eu fui por três meses”, revela Choi, que desde então tem dominado a língua chinesa e atuou em uma série de produções chinesas ao lado de estrelas como Andy Lau e Jackie Chan.

 

 

 

Fluente em mandarim e Inglês, Choi realizado quando apenas um adolescente que barreiras linguísticas estavam mantendo muitas estrelas coreanas de se tornar grande no palco mundial, e decidiu dominar ambas as línguas. “Em 2007”, diz ele, “Eu fui para Los Angeles, para um evento no Hollywood Bowl, este grande concerto de povo coreano. Todo mundo falava Inglês e eles me perguntavam alguma coisa, mas eu não conseguia entender. Então eu estava realmente motivado e eu comecei a estudar por mim “.

 

 

 

Essa mesma dedicação é evidente no set, onde Choi exibe uma ética de trabalho tremendo e não entrar em qualquer farsa de estrelas . Após um longo dia filmando para Piaget, ele gentilmente gasta algumas horas extras no local para filmar esta história de capa, que mostra uma atitude séria e amigável que é às vezes muito desarmante. Quando perguntado sobre sua perspectiva positiva, ele menciona um episódio no início de sua vida que moldou sua filosofia pessoal.

 

 

 

“Quando eu fui para Nova York, eu vi O Rei Leão na Broadway, e eu conheci Matt Damon no teatro. Eu disse, ‘Eu sou Siwon Choi da Coréia, e eu sou parte do Super Junior, como os asiáticos Backstreet Boys. “Ele disse,’ Uau isso é bom! Divirta-se nos Estados Unidos! “Ele foi muito encorajador, muito simpático. Eu pensei, ‘Isso é uma estrela de Hollywood, wow! “Eu era um garoto com ele, eu tinha 20 anos, e ele era realmente famoso.

10551047_770786689698498_1954791631245508630_n

 

After that, the two engaged in a long conversation, during which Lee realised that Choi had great potential for international appeal. “He said I should go to China, so I went for three months,” reveals Choi, who since then has mastered Chinese and acted in a series of Chinese productions alongside stars such as Andy Lau and Jackie Chan.

 

 

Fluent in both Mandarin and English, Choi realised when just a teenager that language barriers were keeping many Korean stars from making it big on the worldwide stage, and decided to master both languages. “In 2007,” he says, “I went to LA, to an event at the Hollywood Bowl, this huge concert for Korean people. Everyone was speaking English and they asked me something, but I couldn’t understand. Then I was really motivated and I started studying by myself.”

 

 

That same dedication is evident on set, where Choi displays a tremendous work ethic and doesn’t indulge in any of the antics of the jaded and spoiled superstar. After a long day filming the Piaget short, he kindly spends a few extra hours on location to shoot this cover story, showing an earnest and friendly attitude that’s at times quite disarming. When asked about his positive outlook, he mentions an early episode in his life that shaped his personal philosophy.

 

 

“When I went to New York, I saw The Lion King on Broadway and I met Matt Damon in the theatre. I said, ‘I’m Siwon Choi from Korea, and I’m part of Super Junior, like the Asian Backstreet Boys.’ He said, ‘Wow that’s good! Have fun in the States!’ He was very encouraging, very friendly. I thought, ‘That’s a Hollywood star, wow!’ I was a kid to him, I was 20, and he was really famous.

“Então eu prometi a mim mesmo que se eu encontrar alguém, em qualquer lugar, se eles se apresentam para mim, eu seria ainda mais amigável do que Matt Damon. Prometi a mim mesmo então. Eu construí a minha filosofia de então. Eu fiz a minha própria filosofia. Foi muito inspirador e motivador. Ele é um ator muito bom, um bom pai, um bom marido também. “Choi atributos ainda mais o seu pensamento positivo e forte disciplina para sua fé cristã. “Talvez seja porque eu sou cristão”, diz ele. “Eu também respeito o Islã, sua cultura. Eles realmente obedecem. “Todo mundo diz que eles amam Jesus, realmente amo Jesus, mas, em seguida, eles fazem o que ele odeia. O cristianismo é uma enorme influência em mim; religião primeiro e depois o meu pai. Ele tem sua própria filosofia, sua maneira, ele nunca faz isso de outra maneira, sempre faz o seu caminho. Eu realmente respeito muito ele.”

 

12191011_770787039698463_8521459708219795550_n

 

Choi também é grato a figuras paternas, como Andy Lau e Jackie Chan, primeiros mentores que o guiaram em sua incursão no agir. “Andy Lau é muito profissional. Ele presta muita atenção aos detalhes. Eu tinha 18 anos quando eu trabalhei com ele. Ele tem sido em mais de 90 filmes em sua vida. Ele controla tudo o que puder no set, mas ele respeita o diretor, porque ele nunca ultrapassa, só diz-lhe o que ele está pensando. Sr. Chan é realmente muito profissional e ele trabalha duro. Ele quer ser um bom mentor para a próxima geração, como eu.

 

 

 

Como alguém que está constantemente sob os holofotes e que é o foco da atenção implacável de inúmeros fãs que seguem cada movimento que ele faz, Choi parece levar tudo na esportiva, sem deixar que o caos circundante subir à cabeça. Ele é definitivamente não um para reclamar sobre as armadilhas da fama e estrelato.

 

 

 

“Muitas pessoas gostariam de obter essa atenção, com tantos fãs que gostam deles, então eu agradeço a Deus, eu não reclamo”, diz ele. “Em segundo lugar, eu me sinto muito responsável para a próxima geração de pessoas. Se eu fizer algo errado, se eu cometer um erro, eu posso aceitá-la. Mas para a próxima geração, eu quero ser uma boa influência, um modelo. “Mesmo que ele cresceu no palco e tem sido um entertainer para a maioria de sua vida, Choi não acredita em misturar sua vida pessoal com o trabalho e revela que ele preferia namorar com alguém que não vem do mundo do entretenimento. Mas, por agora, a família e a carreira são suas prioridades.

 

 

 

“Eu ainda estou morando com meus pais”, revela ele. “Eu prometi a eles que eu iria viver com eles até eu cumprir o meu serviço militar. Você sabe, Coréia ainda é dois países separados, então eu tenho que fazê-lo também, e eu prometi a meus pais que até eu ir para o serviço militar eu vou ficar com eles. “Sua estreita ligação com a família dele também inspira iniciativas de caridade do Choi. “Eu estou planejando trabalhar em um projeto Unicef com Super Junior. Eu quero fazer algo para as crianças. Quando eu abrir meus olhos, os meus pais estão lá para mim, Sr. e Sra Choi, meus pais. Eles se preocupam comigo. Mas pense nisso, muitas crianças quando eles abrem seus olhos não tem ninguém e não tem nada, não há pais, sem futuro, sem vida. Então, se eu ir para o céu na frente de Deus e ele pergunta: ‘Ei Siwon, é bom ver você. O que você fez para mim? Eu dei-lhe amor, o que você fez? “Eu quero dizer, ‘Eu estava tentando ajudar as pessoas pobres, as crianças, em algum lugar.”

 

 

 

Toda essa conversa sobre fazer o bem, no entanto, não mantem Choi de se concentrar no seu objetivo final de se tornar uma estrela internacional em pé de igualdade com outros Vips asiáticos e Hollywood. Ele diz que vê um futuro profissional separada do Super Junior e que seu objetivo é se tornar o primeiro ator coreano de renome mundial. “Se alguém pede às pessoas ocidentais: ‘Quem é seu ator favorito ou asiática celebridade?” Eles sempre dizem Jackie Chan, Jet Li ou Chow Yun Fat, e todos eles são provenientes da China ou Hong Kong, nunca da Coreia  “, diz ele. “Por quê? Mesmo que seja trabalho duro, eu quero tentar fazer isso acontecer antes que eu me arrependa, então talvez daqui a cinco anos, quando eles perguntam: ‘Quem é seu ator favorito na Ásia? “Siwon Choi, sim eu! Esse é o meu sonho. ”

 

 

—————————————-

 

 

“I then promised myself that if I ever meet someone, anywhere, if they introduce themselves to me, I would be even friendlier than Matt Damon. I promised myself then. I built my philosophy then. I made my own philosophy. It was very inspiring and motivating. He’s a really good actor, a good father, also a good husband.” Choi further attributes his positive thinking and strong discipline to his Christian faith. “Maybe it’s because I’m Christian,” he says. “I also respect Islam, their culture. They really obey. “Everyone says that they love Jesus, really love Jesus, but then they do what he hates. Christianity is a huge influence on me; religion first and then my dad. He has his own philosophy, his own way, he never does it another way, always does it his way. I really respect him so much.”

 

 

Choi is also grateful to father figures such as Andy Lau and Jackie Chan, early mentors who guided him on his foray into acting. “Andy Lau is very professional. He pays a lot of attention to details. I was 18 when I worked with him. He’s been in more than 90 movies in his life. He controls everything he can on set but he respects the director because he never oversteps, only tells him what he’s thinking. Mr Chan is really professional too and he works hard. He wants to be a really good coach to the next generation, like me.”

 

 

As someone who’s constantly under the spotlight and who’s the focus of the relentless attention of countless fans who follow every move he makes, Choi seems to take everything in stride, without letting the surrounding mayhem go to his head. He’s definitely not one to complain about the pitfalls of fame and stardom.

 

 

“A lot of people would love to get this attention, with so many fans who like them, so I thank God, I don’t complain,” he says. “Second of all, I feel very responsible to the next generation of people. If I do something wrong, if I make a mistake, I can accept it. But for the next generation, I want to be a good influence, a role model.” Even though he grew up on the stage and has been an entertainer for most of his life, Choi doesn’t believe in mixing his personal life with work and reveals that he would rather date someone who doesn’t come from the entertainment world. But for now, family and career are his priorities.

 

 

“I’m still living with my parents,” he reveals. “I promised them that I would live with them until I do my military service. You know, Korea is still two separate countries, so I have to do it too, and I promised my parents that until I go to military service I will stay with them.” His close bond with his family also inspires Choi’s charity initiatives. “I’m planning to work  on a Unicef project with Super Junior. I want to do something for children. When I open my eyes, my parents are there for me, Mr Choi and Mrs Choi, my parents. They care about me. But think about it, many children when they open their eyes have nobody and have nothing, no parents, no future, no life. So, if I go to heaven in front of God and he asks, ‘Hey Siwon, good to see you. What did you do for me? I gave you love, what did you do?’ I want to say, ‘I was trying to help poor people, children, somewhere.’”

 

 

All this talk about doing good, however, doesn’t keep Choi from focusing on his ultimate goal of becoming an international star on a par with other Asian and Hollywood A-listers. He says that he sees a future career separate from Super Junior and that his goal is to become the first Korean actor of global renown. “If someone asks Western people, ‘Who is your favourite Asian actor or celebrity?’ they always say Jackie Chan, Jet Li or Chow Yun Fat, and all of them are from China or Hong Kong, never Korea,” he says. “Why? Even if it’s hard work, I want to try to make it happen before I regret it, so maybe in five years, when they ask, ‘Who’s your favourite actor in Asia?’ Siwon Choi, yeah me! That’s my dream.”

Source: prestigehongkong.com

Photography:Moke Najung

Stylist: Kwon Hyemi

Make-Up: Han Hyoeun

Hair: Kim Hye Yeon

V:http://sup3rjunior.com/

port: SiwonBrazil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *